Autoridades de Tucumã, Ourilândia do Norte e entidades buscam soluções para conter desemprego.

01 (1)

Por Moraes Filho, com Informações de Roney Wydiamaior

A classe política, empresarial e dos movimentos sociais das cidades de Tucumã e Ourilândia do Norte, da região do Araguaia Paraense na P A 279, estiveram reunidas à noite na câmara de vereadores do município de Ourilândia do Norte.  O encontro se deu a convite do prefeito do município, Dr° Romildo Veloso e teve a seguinte pauta: Discutir-se o “Tema Economia Local”.

Uma comissão composta por entidades sindicais, empresariais e do poder público de Tucumã e Ourilândia do Norte foi criada para dialogar com a empresa Vale.

O Prefeito de Ourilândia do Norte, Dr° Romildo Veloso, abriu a reunião expondo aos presentes sua preocupação em relação ao atual momento da economia local, muito embora, disse ele, exista no município a mineradora Vale desde de 2005.

Veloso lembra que a Vale, umas das maiores empresas global no seguimento da mineração explora desde de 2011 níquel na serra do Onça e Puma. “O empreendimento durante sua fase de implantação do projeto chegou a gerar 8 mil postos de trabalho, porém ao longo do tempo ocorreu uma significante diminuição de mão de obra local o que acarretou em desemprego e conseguintemente afetou as receitas municipais”, explica Veloso.

O prefeito informou que as despesas correntes constitucionais já alcança patamares limite bem próximo dos 50%, isto é, bem próximo de ferir a Lei de Responsabilidade Fiscal, ou seja o gestor não pode gastar mais do que o arrecada e que a única fonte de receita de Ourilândia do Norte, advém da arrecadação tão somente do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

Indagado sobre essa única fonte de arrecadação, o prefeito de Ourilandia ressaltou que toda compensação financeira pela exploração de recursos minerais – CFEM, são destinados diretamente aos municípios de Parauapebas, Canaã dos Carajás e São Felix do Xingu.

Para enfrentar esse momento dificilna economia do município, Veloso conta que adotou medidas de contenção de despesas com a máquina administrativa, demissão de servidores entre outras medidas. “Já cortei na carne, no osso, já estamos cortando na medula, e agora se haver a paralização do projeto onça puma é como a minha alma estivesse morrendo” diz o prefeito.

Presidente da Associação Comercial de Ourilândia do Norte, Amauri Becker

Presidente da Associação Comercial de Ourilândia do Norte, Amauri Becker

Presente no evento, o presidente da Associação Comercial de Ourilândia do Norte, Amauri Becker, informou que foi procurado por alguns empresários relatando dificuldades em receber pelos serviços prestados para algumas empresas terceirizadas da Vale e que mediante o exposto provocou uma reunião com a direção da mineradora.

Segundo Amaury a empresa se posicionou em uma conversa informal do qual relatou que mediante a crise financeira em que por hora atravessa a economia brasileira e aliado ao alto custo da produção da mina Onça e Puma e ao baixo preço comercializado no mercado internacional dos commodities da unidade de produção da Vale no projeto Onça Puma, é possível quebra de contratos com empresas terceiradas ocasionado uma drástica demissão em massa, não sendo destacado também o fechamento do colégio Pitágoras.

03Por sua vez o prefeito de Tucumã, Adelar Pelegrini (PMDB) colocou-se a disposição para ampliar as discursões em comum acordo visando procurar mecanismos para evitar o agravamento do desemprego.

O vice – Presidente da Câmara Municipal de Tucumã, vereador Zé dos Signos, enalteceu a presença da Vale nas duas cidades fazendo um comparativo do antes e depois da empresa que na visão do parlamentar contribuiu com a execução de obras e geração de empregos. Zé dos Signos citou uma frase que acabou virando um bordão entre os presentes “Ruim com a Vale, Pior sem a Vale”.

O presidente da Associação Comercial Industrial e Agropastoril de Tucumã, o advogado Dr. Luiz Gustavo lembrou da importância da Vale no que diz respeito a gestão empresarial, citando por exemplo as inúmeras capacitações promovidas pela empresa o que resultou em ganhos profissionais com a educação fiscal e financeira do empresariado.

Valto da Sagri, presidente da Câmara de Ourilandia

Valto da Sagri, presidente da Câmara de Ourilandia

José Jocineis Oliveira dos Santos o popular “Zé Areia”, presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Ourilândia do Norte, informou ser favorável quanto a continuidade do projeto Onça e Puma, porém admiti que a empresa tem uma dívida social com as famílias desafetadas do Campos Altos e com a comunidade indígena.

Fizeram parte da mesa de debates além prefeito de Tucumã, Adelar Pelegrini (PMDB), o vice – presidente da câmara municipal, vereador Zé do Signos (PSD), presidente da câmara de vereadores de Ourilândia do Norte, vereador, Walton Cunha (PMDB), os presidentes das Associações Comerciais de Tucumã e Ourilândia do Norte, Gustavo Santos e Mauri Becker, o presidente do Sindicato Rural de Tucumã e Ourilândia do Norte, Divino Galvão, José Jocineis Oliveira dos Santos o popular “ Zé Arreia”, presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Ourilândia do Norte e o Cleber Soares de Oliveira  (PSD) “ O Cleber do Lau”, vice – prefeito de Ourilândia do Norte.

Cleber do Lau, vice-prefeito de Ourilândia

Cleber do Lau, vice-prefeito de Ourilândia

Sobre Manancial