Frigol abate mais, aumenta receita e lucro líquido no 1º semestre e projeta faturar 15% a mais em 2017

No primeiro trimestre de 2017, a Operação Carne Fraca impactou o consumo de carnes como um todo, afetando as vendas da Frigol, que teve o seu resultado comprometido, com redução do ganho líquido em 87,7%, para R$ 1,345 milhão. “No 2º trimestre, porém, tivemos forte aumento da demanda interna e externa. A empresa aproveitou-se de espaços deixados por concorrentes no mercado, fortaleceu sua base comercial, focou na operação e elevou o resultado líquido em 1.726%, passando de R$ 482 mil (2º tri 2016) para R$ 8,788 milhões (2º tri 2017)”, informa Luciano Pascon.

Para o executivo, os resultados apontam para o acerto da estratégia de crescimento da Frigol voltada à rentabilidade. “A atenção às linhas especiais, diversificação de produtos, linhas premium para churrasco gourmet, projeto Açougue Completo, aumento das exportações e melhoria da eficácia operacional proporcionaram consistência ao desempenho da Frigol. Em um ano de bastante instabilidade no setor conseguimos dar sustentação e rentabilidade ao negócio”, ressalta Luciano Pascon.

A Frigol trabalha para fechar 2017 com aumento de 17,2% nos abates de bovinos, 32,5% nos abates de suínos e 26,5% em carne desossada, projetando receita líquida de R$ 1,411 bilhão – crescimento de 15% em relação a 2016. A alavancagem da empresa está entre as menores do segmento (2,1 vezes a dívida líquida/EBITDA), desempenho obtido com consistente geração de caixa nos últimos anos.

“A melhoria do perfil da dívida e da estrutura de capital contribui para impulsionar os resultados de forma consistente. Quando comparamos os períodos de 2012 a 2014, obtivemos margem EBITDA média anual de 5,3%; no período 2015 a junho de 2017 chegamos à média de 6,9%, mostrando claramente a melhoria e a consistência dos resultados da Frigol”, informa o CEO Luciano Pascon.

“O processo de recuperação da oferta de animais prontos para o abate e o movimento de recuperação da demanda interna – historicamente o segundo semestre apresenta aumento de consumo interno e externo – contribuirão para o resultado da Frigol crescer 46,8% no ano, projetando lucro líquido de R$ 24 milhões em 2017”, explica o CEO da empresa. “Estamos elevando nosso lucro líquido, indicador que realmente interessa aos acionistas”.

Além disso, a Frigol trabalha para atingir praticamente 100% da capacidade instalada de abate até o final do ano, aumentando ao redor de 20% o volume mensal de abate de bovinos e em 50% o abate de suínos, passando para 48.000 bois mensais e 13.500 suínos.

Sobre Manancial