Sexta, 14 de dezembro de 2018
(94) 99153-9530
Geral

29/11/2018 ás 16h36

Moraes Filho

Xinguara / PA

Alunos da UEPA se formam antecipadamente para se inscreverem no Mais Médicos
O Governo Federal espera que até esta data consiga preencher as mais de oito mil vagas deixadas pelos médicos cubanos em todo o país.
Alunos da UEPA se formam antecipadamente para se inscreverem no Mais Médicos
(Foto: Divulgação)

Trinta e seis alunos da Universidade do Estado do Pará (Uepa) se formaram como médicos em uma cerimônia realizada, antecipadamente, na tarde desta quarta-feira (28). Na semana passada, os alunos solicitaram junto à universidade o adiantamento da solenidade das outorgas, marcada inicialmente para o dia 20 de dezembro, para que pudessem participar a tempo do programa Mais Médicos. Todos já concluíram 100% do curso e apenas aguardavam a formatura oficial.


Faltando pouco mais de uma semana para o fim das inscrições, o grupo não perdeu tempo. Assim que a cerimônia foi encerrada os recém-formados foram até o Conselho Regional de Medicina (CRM) solicitar o registro profissional antes do término das inscrições, no próximo dia 7 de dezembro. O Governo Federal espera que até esta data consiga preencher as mais de oito mil vagas deixadas pelos médicos cubanos em todo o país.


De um total de 41 alunos da turma, 36 pediram a antecipação das outorgas visando o Mais Médicos (Divulgação)


No Pará são necessárias a contratação de 524 médicos para preencher o buraco deixado pelos profissionais vindos de Cuba. De acordo com a Comissão Estadual do Programa Mais Médicos, até a segunda-feira (26) 431 médicos inscreveram-se no programa, o que representa cerca de 84% da totalidade das vagas. Os profissionais tem até o dia 14 de dezembro para se apresentarem nas cidades escolhidas.


Apenas 10% dos Médicos já se Apresentaram


Embora o número de médicos inscritos seja significativo, existe a possibilidade de que boa parte destes profissionais não se apresente. Já há registros de médicos que desistiram de trabalhar, o que, segundo a própria coordenação do programa, poderá acontecer mais vezes. “Muitos fazem a inscrição para não perder a vaga e ficam aguardando a possibilidade de serem deslocados para outros municípios, em caso de desistências. Essa é uma de nossas preocupações”, admite a coordenadora Sônia Bahia.


O Ministério da Saúde divulgou nesta quarta-feira os dados das inscrições no programa. Pouco menos de 10% dos aprovados no novo edital se apresentaram para trabalhar em seus respectivos postos de saúde. Apenas 738 profissionais já se apresentaram nos locais que se inscreveram para começar os trabalhos.


Também existe preocupação com o baixo número de médicos interessados em atuar nas regiões mais pobres do estado. No Baixo Amazonas são 55 inscritos para 70 vagas disponíveis, e no Marajó apenas 15 médicos se inscreveram para um total de 39 vagas. Existem cidades, como Curralinho, Curuá e Faro, que ainda não tiveram nenhum médico inscrito.

FONTE: (Igor Wilson/DOL)

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados