Quinta, 25 de abril de 2019
(94) 99153-9530
Colunistas

26/03/2019 ás 09h38

Moraes Filho

Xinguara / PA

Comemorar o que mesmo?
Nada de significativo poderia ele, Bolsonaro, oferecer aos militares, demonstrando que é pra frente que se olha? Ninguém tem conseguido entender, de fato, o que ele tem como proposta real para o país.

Se há alguma ordem para se comemorar o golpe de 1964, os militares brasileiros estariam sendo golpeados a demonstrarem que não estão a serviço da pátria, mas de um presidente que se acha o ser supremo, com suas pseudas afirmações: “Brasil acima de tudo”. “Deus acima de todos”.


Constituem-se verdadeiras afirmações, com tom de fakes posturas pelo simples fato de irem totalmente na contramão da real conduta dele como chefe de governo. Isso não representa em nada o espirito democrático da nação.


Nada de significativo poderia ele, Bolsonaro, oferecer aos militares, demonstrando que é pra frente que se olha? Ninguém tem conseguido entender, de fato, o que ele tem como proposta real para o país. Até daqui a pouco, apenas “um deserto de ideias”, sendo essa a afirmação do presidente da Câmara, Rodrigo Maia.


Ainda insiste em olhar pelo retrovisor. Bem ao seu estilo, não havendo nada a apresentar de concreto que eleve a baixa autoestima do brasileiro, o Jair não demonstra sequer que já se sentou na cadeira de presidente. Cadeira que parece está deixando ele desnorteado pela tamanha responsabilidade que tem, mas infelizmente não tem correspondido, pelo menos é o que começa a se verificar por meio de pesquisa de opinião pública.


A Reforma de Previdência, encaminhada por ele ao Congresso, tem provocado trapalhadas e congestionamentos no microblog twitter. Nem a sua própria base tem se entendido quanto a tramitação da proposta. Por outro lado, cabe aqui perguntar: Se fosse nos tempos em que não se tinha as redes sociais, como ele viria a público se manifestar sobre o que pensa, se é que pensa.


Em tempo de internet, como recurso rápido para falar, tentar “desfalar” equivale a estória de alguém que teria pego algumas penujas e jogado do alto de um monte, com tamanha ventania, não podendo mais recolhê-las.


Então, Bolsonaro falou, pode até tá falado, mas o povo tem “desfalado”. Por isso, comemorar o quê de 1964, em tempos tão modernos e democráticos?


Caso alguém possa avisá-lo, vai aqui uma sugestão: Presidente, volte a usar a tal da caneta bic. Quem sabe assim pelo menos os recados sejam dados em pedaços de papeis, pois o twitter tem reduzido a sua capacidade de governar o país, deixando a cargo de terceiros, ou de segundos, sendo estes seus próprios filhos.


 


Antonio Guimarães


antonioguimarãesjornalista@gmail.com

FONTE: ANTÔNIO GUIMARÃES

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
ANTÔNIO GUIMARÃES

ANTÔNIO GUIMARÃES

Blog/coluna Últimas notícias e matérias especiais sobre o avanço tecnológico
Facebook
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados