Quinta, 25 de abril de 2019
(94) 99153-9530
Geral

04/04/2019 ás 20h50 - atualizada em 04/04/2019 ás 21h10

Moraes Filho

Xinguara / PA

OAB considera crime contra o exercício da advocacia, comentários que intentaram desqualificar o trabalho de advogados em Água Azul do Norte.
Os advogados sempre terão apoio desta instituição, quando na prática dos atos necessários ao exercício da profissão, diz a nota
OAB considera crime contra o exercício da advocacia, comentários que intentaram desqualificar o trabalho de advogados em Água Azul do Norte.

Após episódio que culminou com a prisão e soltura da Secretária de Saúde de Água Azul do Norte , Ivone Novaes, em 19 de março, pela Justiça da Comarca de Xinguara, com abrangência nos municípios de Água Azul do Norte e Sapucaia, as redes sociais exibiram diversos comentários sobre o fato, tentando desmoralizar advogados envolvidos na ação.


Diante de tais fatos , a Ordem dos Advogados do Brasil de Xinguara, divulgou nota de apoio aos profissionais do direito bem como repudiando os comentários que tentavam desqualificar o trabalho dos advogados.


VEJA A ÍNTEGRA DA NOTA


A Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil de Xinguara vem a público manifestar solidariedade e irrestrito apoio aos advogados Cátia Patrícia Ferreira (OAB/PA 12.138) e Davi César Tito Barbosa (OAB/PA 23.593), em face de notícias amplamente divulgadas através de redes sociais em desfavor dos mesmos.  


A OAB Subseção Xinguara tomou conhecimento de divulgação entre populares, sobretudo através de redes sociais, de posicionamentos que intentam desqualificar o exercício da advocacia, resultante de decisão proferida em autos processuais que tramitam na Comarca de Xinguara/PA, comentários estes que confundem os advogados com seus clientes e direitos pleiteados e criminalizam o exercício da advocacia, o que não será tolerado por esta entidade.


Reafirmamos, veementemente, ser um retrocesso perigoso e desconectado dos avanços sociais a criminalização daqueles que são responsáveis pela defesa das partes, o advogado defende o direito, e jamais poderá ser confundido com seus clientes.


Registra-se, que não se pretende adentrar o mérito dos fatos, tão somente informando, a toda sociedade, que o advogado é indispensável à administração da Justiça, e independentemente da repercussão do caso, não há de se confundir a figura do advogado com a de seu cliente, tendo este liberdade e independência profissional de atuar em defesa de seu constituinte e não possuindo no desempenho de sua função qualquer receio de desagradar autoridades ou incorrer impopularidade em razão do direito a ser defendido, conforme determina o artigo 31, §2º do Estatuto da Advocacia.


Ainda, o advogado é figura pública, que dedica sua vida a solucionar conflitos de interesses e auxiliar a sociedade na manutenção da paz social através dos mecanismos legais cabíveis, sendo intransigível o respeito de toda a sociedade pelo múnus público da advocacia.  


Os advogados sempre terão apoio desta instituição, quando na prática dos atos necessários ao exercício da profissão, e terão suas prerrogativas defendidas, na luta pela preservação da advocacia.


A OAB rejeita todos e quaisquer atos de violações as prerrogativas, bem como, qualquer ato de agressão.


A OAB registra, ao fim, sua solidariedade aos advogados atacados e reitera seu compromisso na luta pela garantia das prerrogativas de toda a advocacia.




VEJA NOTA EM PDF   -     https://drive.google.com/open?id=1IEG_biA8vWn4EWvTSKOrigZNtkVqHw24 


 

FONTE: Jornal Manancial com informações da OAB/XINGUARA

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados