Segunda, 23 de setembro de 2019
(94) 99153-9530
Política

06/07/2019 ás 23h44 - atualizada em 06/07/2019 ás 23h47

Moraes Filho

Xinguara / PA

Maia compara vazamentos contra Moro à divulgação de áudio de Lula e Dilma
“Quando é para beneficiar um lado, é bacana, mas quando é para beneficiar o outro lado, aí não pode?”, questiona o presidente da Câmara
Maia compara vazamentos contra Moro à divulgação de áudio de Lula e Dilma
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e o ministro da Justiça, Sergio Moro Foto: Reprodução do Facebook

Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara, não se convenceu com as justificativas do ministro da Justiça, Sérgio Moro, e defendeu, nesta sexta-feira (5), a divulgação dos diálogos comprometedores entre o ex-juiz e procuradores da Lava Jato pelo The Intercept Brasil.


Durante entrevista ao programa Pânico, da rádio Jovem Pan, Maia declarou que não pode haver “dois pesos e duas medidas” em relação à veiculação de informações de interesse público.


“Quando é para beneficiar um lado, é bacana, mas quando é para beneficiar o outro lado, aí não pode? Um vazamento de um documento sigiloso que foi entregue por um agente público a um jornalista é pior do que um hacker vazar uma informação?”, disse.


“Todo mundo divulgou o WikiLeaks e, naquela época (2010), ninguém viu problema. É claro que é crime (o que o hacker da Lava Jato fez), mas o jornalista que divulgou a informação não está errado. Está mais do que claro, com respaldo da Constituição Federal, que não é crime”, disse.


Dilma


“Eu sou contra vazamento ilegal, só que o jogo foi jogado assim a vida inteira, inclusive durante o impeachment da Dilma (Rousseff). Aquela decisão do vazamento (feito por Moro) foi decisiva para recuperar o impeachment, que estava morrendo naquela época. Que vá atrás do criminoso, que entrou no celular de terceiros para pegar informações”, acrescentou.


O deputado reprovou também a tentativa de criminalizar o site The Intercept, que diz ter obtido as mensagens de uma fonte anônima. "É claro que a entrada num celular, pegar informações privadas, é claro que é crime de quem tirou as informações… Mas o jornalista que pegou a informação —infelizmente ou felizmente— já está mais do que claro, inclusive com respaldo da Justiça brasileira,  que não é crime usar essa informação."

FONTE: REVISTA FORUM

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados