Sexta, 23 de agosto de 2019
(94) 99153-9530
Política

10/08/2019 ás 17h47

Moraes Filho

Xinguara / PA

Coaf pode passar para o Banco Central para sair do "jogo político", diz Bolsonaro
De acordo com Bolsonaro, o presidente do BC, Roberto Campos Neto, será o responsável por escolher o presidente do Coaf caso a transferência se concretize, e o órgão poderia até mudar de nome.
Coaf pode passar para o Banco Central para sair do
FOTO: G1.GLOBO

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira que o governo pretende transferir o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) do Ministério da Economia para o Banco Central, visando tirar o órgão do que chamou de “jogo político”.


Assim que tomou posse, Bolsonaro tentou transferir o Coaf para o Ministério da Justiça e Segurança Pública, a pedido do ministro Sergio Moro, como forma de ampliar o combate à lavagem de dinheiro, mas a medida foi barrada pelo Congresso Nacional.


O órgão, que foi responsável por revelar movimentações financeira atípicas que resultaram em inquéritos contra o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho do presidente, agora pode passar para as mãos do Banco Central, segundo o presidente.


“O que nós pretendemos é tirar o Coaf do jogo político, pretendemos. Estamos conversando... vincular ao Banco Central, aí acaba. Tudo onde tem política, mesmo sendo bem intencionado, sempre sofre pressões de um lado ou de outro, a gente quer evitar isso daí”, disse Bolsonaro em entrevista coletiva no Palácio da Alvorada, ao lado de Moro.


“Se o Coaf, por ventura, vá para o Banco Central, vai fazer o seu trabalho sem qualquer suspeição de favorecimento político”, acrescentou.


De acordo com Bolsonaro, o presidente do BC, Roberto Campos Neto, será o responsável por escolher o presidente do Coaf caso a transferência se concretize, e o órgão poderia até mudar de nome.


O presidente também afirmou na entrevista que conversou com a equipe econômica para que a proposta de reforma tributária a ser enviada pelo governo ao Congresso inclua mudanças no Imposto de Renda, ao menos para incluir uma correção de alíquotas de acordo com a inflação.


Com informações do Estadão

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados