Segunda, 24 de fevereiro de 2020
(94) 99153-9530
Geral

08/02/2020 ás 10h00 - atualizada em 08/02/2020 ás 10h09

Moraes Filho

Xinguara / PA

Operação Parasita: MPF, CGU e PF apuram irregularidades com recursos de pesquisas biomédicas no Pará
Levantamentos preliminares indicam prejuízos aos cofres públicos de mais de R$ 24 milhões
Operação Parasita: MPF, CGU e PF apuram irregularidades com recursos de pesquisas biomédicas no Pará
Operação Parasita: MPF, CGU e PF. Foto: Portal Tailândia

O Ministério Público Federal (MPF), a Controladoria-Geral da União (CGU) e a Polícia Federal (PF) participam, nesta quinta-feira (06), no Pará, da operação Parasita. A operação se destina a investigar irregularidades na contratação de empresa fornecedora de materiais e equipamentos laboratoriais pelo Instituto Evandro Chagas, instituição vinculada ao Ministério da Saúde que é referência nas áreas de pesquisas biomédicas e na prestação de serviços em saúde pública.


A investigação teve início a partir de denúncias realizadas por cidadão por meio do Fala BR, canal do Sistema de Ouvidorias do poder executivo federal. Após realizar inspeções e levantamentos para apurar os fatos denunciados, a diretoria do Instituto Evandro Chagas levou a situação ao conhecimento da CGU e do MPF por meio de relatório detalhado feito pela própria instituição.


Em resumo, as fraudes investigadas ocorreriam desde o processo de seleção de fornecedores até a execução de contratos de fornecimento de insumos laboratoriais. Foram detectadas, em editais de licitações, cláusulas que restringiam a competição e acabavam por favorecer a empresa investigada. Além disso, verificou-se superfaturamento por quantidade e por preço, além do aceite, no ato da entrega, de produtos que não correspondiam ao que era solicitado nos pedidos.


Os recursos envolvidos são provenientes do Ministério da Saúde. Com base em levantamentos preliminares feitos pela CGU, há suspeita de irregularidades em pelo menos dez processos licitatórios, que juntos somam mais de R$ 24 milhões.


CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE



A operação consiste no cumprimento de seis mandados de busca e apreensão nas cidades de Belém e Ananindeua.


Como denunciar - Para encaminhar denúncias ao MPF, além de poderem ir pessoalmente às unidades da instituição os interessados podem utilizar a internet. Basta acessar o endereço www.mpf.mp.br/mpfservicos e selecionar o item "Fazer uma representação inicial (denúncia)".


Os serviços do MPF também podem ser acessados por meio de aplicativo gratuito para smartphones. O aplicativo MPF Serviços está disponível para os sistemas iOS e Android.


As denúncias podem ser registradas como anônimas, tanto presencialmente quanto no site e nos aplicativos.


 


Ministério Público Federal no Pará

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2020 :: Todos os direitos reservados