Segunda, 22 de outubro de 2018
(94) 99153-9530
Política

20/03/2018 ás 08h50

Moraes Filho

Xinguara / PA

Canaã: Prefeitura intensifica combate a leishmaniose e fará campanha de testagem de animais
A leishmaniose Visceral (LV) tem tratamento para os humanos. Ele é gratuito e está disponível na rede de serviços do Sistema Único de Saúde.
Canaã: Prefeitura intensifica combate a leishmaniose e fará campanha de testagem de animais

Com o objetivo de intensificar o combate e a prevenção à leishmaniose canina em Canaã dos Carajás, a prefeitura do município, por meio da Secretaria de Saúde, realiza nesta terça-feira, 20, e vai até o dia 22, uma ação de testagem de animais com suspeita da doença. Os serviços estão sendo realizados em dois locais: No Ginásio Poliesportivo do Novo Brasil – região com maior incidência de casos suspeitos – e na sede da Associação Anjos de Patas.


 


Nos três dias, das 8h às 12, será realizada a avaliação de animais com clínica sugestiva da doença e coleta de sangue para testagem rápida. Nos casos em que o resultado for positivo, os animais serão encaminhados para a Associação Anjos de Pata e será realizado um exame de contraprova. Com a confirmação, o proprietário deve preencher um termo de doação para a realização da eutanásia no animal doente.


Juntamente com a testagem, a Secretaria de Saúde também vai realizar um “inquérito vetorial”, com a captura de mosquitos para análise pelo centro de zoonoses de Marabá, com objetivo de identificar a localidade com maiores índices de infestação.


Prevenção e combate


Pessoas residentes em áreas onde ocorrem casos de leishmaniose, ao sentirem os sintomas da doença devem procurar o serviço de saúde mais próximo a sua casa o quanto antes, pois o diagnóstico e o tratamento precoce evitam o agravamento.


A transmissão acontece quando fêmeas de insetos flebotomíneos (mosquito palha, tatuquiras, biriguis, conhecidos popularmente) infectados picam cães ou outros animais infectados e depois picam o homem, transmitindo o protozoário Leishmania chagasi.


Os insetos desenvolvem-se em locais úmidos, sombreados e ricos em matéria orgânica (folhas, frutos, fezes de animais e outros entulhos), por isso a melhor forma de combate ao mosquito vetor se dá por meio da higiene ambiental, limpeza periódica dos quintais, retirada da matéria orgânica em decomposição e destino adequado do lixo orgânico, a fim de impedir o desenvolvimento das formas imaturas dos flebotomíneos, além de limpeza dos abrigos de animais domésticos.


A leishmaniose Visceral (LV) tem tratamento para os humanos. Ele é gratuito e está disponível na rede de serviços do Sistema Único de Saúde.


No entanto, o tratamento da Leishmaniose Visceral Canina (LVC) traz riscos para a Saúde Pública por contribuir com a disseminação da doença, pois os cães não são curados parasitologicamente, permanecendo como reservatórios do parasita, além do risco de desenvolvimento e disseminação de cepas de parasitos resistentes às poucas medicações disponíveis para o tratamento da leishmaniose visceral humana.


Atualmente a eutanásia de animais infectados pode ser utilizada para controle e combate a disseminação da doença.


Texto: Wellington Borges 

FONTE: Ascom PMCC

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados