Sábado, 20 de outubro de 2018
(94) 99153-9530
Brasil

28/04/2018 ás 21h42 - atualizada em 28/04/2018 ás 22h11

Moraes Filho

Xinguara / PA

Juiz do TRF-1 diz que Moro promove descumprimento de decisão da corte
Manifestação reage a despacho de Moro que manda continuar extradição suspensa pelo tribunal
Juiz do TRF-1 diz que Moro promove descumprimento de decisão da corte
Em março de 2018, o juiz Sergio Moro concede entrevista ao programa Roda Viva/Folhapress

Flávio Ferreira/ SÃO PAULO


O juiz do TRF-1 (Tribunal Regional Federal da 1ª Região) Ney Bello acusou o juiz Sergio Moro de ter instigado autoridades a descumprir decisão da corte, “sob argumento de sua própria autoridade”, ao ter determinado a continuidade de uma extradição que havia sido suspensa pelo tribunal. 


A manifestação de Bello, publicada em nota no site da corte, é uma reação a despacho de Moro no qual o magistrado titular da Lava Jato afirma que o TRF-1 não poderia ter decido sobre o encaminhamento ao Brasil do consultor na área de petróleo Raul Schmidt, luso-brasileiro que é investigado pela suposta atuação como operador de esquema de corrupção na Petrobras.


O TRF-1 não julga temas pertinentes à Lava Jato em Curitiba pois sua competência não abrange a Justiça Federal no sul do país. O tribunal passou a tratar da extradição de Schmidt depois que o tema chegou à Justiça Federal no Distrito Federal.


De acordo com Moro, eventuais contestações sobre o tema não deveriam ficar a cargo do TRF-1, mas sob os cuidados do TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), responsável pelas causas na região sul,  e por isso os trâmites para o envio de Schmidt ao Brasil deveriam ter prosseguimento.


Já Bello afirma que a questão da competência para definir a situação do suspeito já foi enviada a um tribunal superior, o STJ (Superior Tribunal de Justiça), e Moro deveria aguardar a solução da divergência judicial.


 Segundo o magistrado do TRF-1, “não é minimamente razoável que um dos juízes arvore-se por competente e decida por si só, sem aguardar a decisão da corte superior”.


“A instigação ao descumprimento de ordem judicial emitida por um juiz autoriza toda a sociedade a descumprir ordens judiciais de quaisquer instâncias, substituindo a normalidade das decisões judiciais pelo equívoco das pretensões individuais”, completa.


Em janeiro, a defesa de Schmidt apresentou habeas corpus ao STJ requerendo a concessão de uma liminar para impedir a extradição, mas o tribunal superior negou o pedido.

FONTE: FOLHA DE SÃO PAULO

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados