domingo, 16 de dezembro de 2018
(94) 99153-9530
Política

18/08/2018 ás 22h31 - atualizada em 18/08/2018 ás 22h48

Moraes Filho

Xinguara / PA

Bolsonaro nega que tenha sido grosseiro em embate com Marina. VEJA VÍDEO
"Estão tentando me jogar contra as mulheres, contra os negros, contra os gays.
Bolsonaro nega que tenha sido grosseiro em embate com Marina. VEJA VÍDEO
Após embate, Bolsonaro tenta minimizar ataque

Agência Estado / Daniela Amorim


O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, negou neste sábado (18) que tenha sido grosseiro no embate com a candidata Marina Silva (Rede) no debate com os presidenciáveis promovido pela "RedeTV", ontem (17).


"Eu acho que fui duro o suficiente, porque estava discutindo ali a questão do aborto e legalização da maconha. Ela não gostou porque ela perdeu praticamente o apoio de certos setores da sociedade que ela tinha e não tem mais", disse o concorrente ao Planalto, após cerimônia de formatura de cadetes na Aman (Academia Militar das Agulhas Negras), em Resende (RJ).


"Ela gritou comigo, me interrompeu, e eu a tratei coma maior cordialidade possível. Não teve nada de agressividade da minha parte, nunca fiz isso com mulher nenhuma", defendeu-se Bolsonaro.


Questionado se havia preocupação de impopularidade entre o eleitorado feminino, o candidato afirmou que há uma tentativa de rotulá-lo como contrário aos direitos das mulheres.


"Estão tentando me jogar contra as mulheres, contra os negros, contra os gays. É essa tentativa o tempo todo de me rotular. Eu defendo a mulher pra valer", declarou.


O presidenciável argumentou que sempre há mulheres nos palanques de seus comícios e que defende a lei do feminicídio aliada à posse de armas de fogo por mulheres para que elas possam se defender.


Bolsonaro acrescentou ainda que tem sido tratado com muito carinho e consideração País afora, principalmente pelas mulheres. "Adoro as mulheres. Você duvida? Tenho cinco filhos", brincou o candidato.


Bolsonaro ataca ONU


Bolsonaro declarou ainda que o Brasil deixará a Organização das Nações Unidas (ONU) caso seja eleito presidente da República.


A afirmação de Bolsonaro foi feita em resposta à pergunta sobre como avaliava a recomendação do Conselho de Direitos Humanos da ONU de que o país permita ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disputar a eleição presidencial.


"Se eu for presidente eu saio da ONU. Não serve pra nada essa instituição", disse. "Sim, saio fora, não serve pra nada a ONU. É um local de reunião de comunistas e gente que não tem qualquer compromisso com a América do Sul pelo menos."


Mais cedo, Bolsonaro já tinha se manifestado sobre o tema em sua conta pessoal no Twitter:


"Há mais ou menos 2 meses falei em entrevista que já teria tirado o Brasil do conselho da ONU, não só por se posicionarem contra Israel, mas por sempre estarem ao lado de tudo que não presta. Este atual apoio a um corrupto condenado e preso é só mais um exemplo da nossa posição."


FONTE: ESTADÃO/UOL

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados