Domingo, 27 de Setembro de 2020
Colunistas CERTO OU ERRADO

EM QUEM ACREDITAR?

No presidente ou nas informações do Ministério da Saúde?

24/03/2020 22h44 Atualizada há 6 meses
Por: Redação Integrada Fonte: MORAES FILHO

Por/Moraes Filho

Em pronunciamento na cadeia nacional de rádio e TV, (hoje 24 de março) o presidente Jair Bolsonaro, voltou a criticar governadores e afirmou que a vida dos brasileiros deve continuar e os empregos serem mantidos diante da pandemia de coronavírus.

"O sustento das famílias deve ser preservado. Devemos, sim, voltar à normalidade. Algumas poucas autoridades estaduais e municipais devem abandonar o conceito de terra arrasada, como proibição de transporte, fechamento de comércio e confinamento em massa.", enfatizou.

Bolsonaro fala em rede de rádio e TV sobre a crise do coronavírus, nesta terça - Reprodução/TV Brasil

Bolsonaro disse que "grande parte dos meios de comunicação foi na contramão" e "espalharam exatamente a sensação de pavor. Tendo como carro chefe o anúncio de um grande número de vítimas na Itália, um país com grande número de idosos e com um clima totalmente diferente do nosso. Um cenário perfeito, potencializado pela mídia, para que uma verdadeira histeria se espalhasse pelo nosso país", apontou o presidente.

Na avaliação de Bolsonaro, 90% dos infectados não manifestarão nenhuma reação ao coronavírus. "O que se passa no mundo tem mostrado que o grupo de risco é o das pessoas acima dos 60 anos. Então, por que fechar escolas? Raros são os casos fatais de pessoas sãs, com menos de 40 anos de idade. Devemos, sim, é ter extrema preocupação em não transmitir o vírus para os outros, em especial aos nossos queridos pais e avós. Respeitando as orientações do Ministério da Saúde", observou.

Ocorre que Idosos acima de 60 anos e pessoas com doenças pré-existentes são considerados pela OMS (Organização Mundial de Saúde) como grupo de risco para o coronavírus. Porém, a entidade tem reforçado que crianças e jovens adultos já morreram de covid-19.

PRONUNCIAMENTO “CRIMINOSO”

Partidos de oposição ao governo consideram o pronunciamento de Bolsonaro foi “criminoso”, após comparar a Covid-19 - que já deixou 46 mortos no Brasil - a uma "gripezinha" ou "resfriadinho" e pediu para prefeitos e governadores "abandonarem o conceito de terra arrasada", que, para ele, inclui o fechamento do comércio "e o confinamento em massa".

PANELAÇO

Durante ao pronunciamento o presidente voltou a ser alvo de novos protestos, em cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Florianópolis, Brasília, Curitiba, Porto Alegre, Belo Horizonte e Salvador, moradores foram às janelas para bater panelas e pedir a saída de Bolsonaro da Presidência.

Parlamentares se dizem perplexos e chamaram Bolsonaro de “irresponsáveis”.

RISCO DE PANDEMIA “APOCALÍPTICA

Numa carta enviada ao presidente Jair Bolsonaro e aos demais líderes do G-20 na segunda-feira (23), o secretário-geral da ONU, Antônio Guterres, apela para que as maiores economias do mundo se unam para dar uma resposta à crise gerada pelo coronavírus e que saiam ao resgate dos países mais pobres do mundo.

Caso contrário, o documento obtido pela coluna alerta para o risco de que o mundo seja atingido por uma "pandemia de proporções apocalípticas".

MORTES E CASOS CONFIRMADOS

O Ministério da Saúde anunciou nesta terça 24,  em coletiva de imprensa que subiu para 46 o número de mortes por conta do coronavírus no Brasil — um aumento de 12 vítimas desde os dados oficiais de ontem.

Os dados oficiais apontam que 2.201 casos estão confirmados no Brasil, um crescimento de 310 casos em 24 horas.

No ultimo domingo, o presidente pôs em dúvida a situação, e afirmou que em breve as pessoas perceberão que estão sendo enganadas”.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias