CONQUISTA GIF TOPO
FRIGORÍFICO

Brasil reforça regras para evitar interrupções no processamento de carnes como aconteceu nos EUA

O Brasil, o maior exportador de carne bovina e de frango, está apostando em um novo conjunto de padrões de segurança para evitar o tipo de interrupção do processamento em massa que causou escassez de carne e picos de preços nos Estados Unidos.

29/05/2020 22h13Atualizado há 1 mês
Por: Moraes Filho
Fonte: Bloomberg
Brasil reforça regras para evitar interrupções no processamento de carnes como aconteceu nos EUA
Brasil reforça regras para evitar interrupções no processamento de carnes como aconteceu nos EUA

A gigante agrícola sul-americana planeja introduzir novas diretrizes nacionais que incorporem requisitos de autoridades locais e promotores de trabalho, disse a ministra da Agricultura Tereza Cristina Dias em entrevista. Até agora, o setor opera sob protocolos estabelecidos com o governo federal.

Os surtos de Covid-19 nos matadouros dos EUA forçaram uma onda de fechamento no mês passado que levou a um excesso de animais e a mais do que dobrar os preços no atacado de carne suína e bovina. Embora a indústria brasileira tenha evitado grandes interrupções até agora, promotores e autoridades locais pararam um punhado de instalações por questões de segurança. Na segunda-feira, a Marfrig Global Foods SA disse que 25 trabalhadores de uma fábrica no estado de Mato Grosso deram positivo e pelo menos um morreu.

Manter o setor de frigoríficos em operação é um dos principais focos da Dias. Uma ruptura na cadeia de suprimentos prejudicaria os consumidores locais no momento em que o Brasil se tornasse o novo ponto de acesso global a vírus . Também poderia restringir o fornecimento nos mercados globais de aves e carne bovina.

"O pior cenário seria a escassez", disse ela. Mas isso é improvável, "a menos que perdemos o controle do país".

Os frigoríficos como JBS SA, BRF SA e Marfrig estão distribuindo máscaras para os trabalhadores, aumentando a desinfecção, instalando barreiras físicas entre funcionários, limitando grupos nas áreas comuns e, em alguns casos, contratando pessoas para combater o absenteísmo.

Algumas empresas assinaram acordos com promotores que incluem compromissos para testar os trabalhadores e não pagam bônus que visam limitar o absentismo. Outros, incluindo a JBS, se recusaram a assinar tais acordos. Um único protocolo nacional estabeleceria as mesmas diretrizes para todos os produtores.

Outro risco é a segurança dos inspetores. "Se não houver inspetores, as frigoríficas também devem fechar, pois a inspeção é uma parte essencial da saúde pública", afirmou o ministro.

A natureza da indústria brasileira de carne bovina oferece uma vantagem sobre a indústria norte-americana altamente concentrada em termos de minimizar o impacto quando ocorrem paralisações. O gado no Brasil é engordado em extensas pastagens, exigindo um número maior de matadouros menores próximos a fazendas.

 

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
-
Atualizado às 21h00
Máxima: - Mínima:

Sensação

km/h

Vento

%

Umidade

Fonte: Climatempo
ANIMED - MAIOR
CONQUISTA QUADRADO -POLÍTICA
Municípios
CONQUISTA/ ESPORTE
Últimas notícias
CARRO EDVALDO ENTRETENIMENTO
Mais lidas
Anúncio
Anúncio