Terça, 29 de Setembro de 2020
Política CENSURA

ABI chama de "censura" decisão de juíza contra Globo e pergunta sobre depósito de Queiroz

Em nota, a entidade comparou a determinação judicial a censura praticada pela ditadura militar

06/09/2020 20h10
Por: Redação Integrada Fonte: Yahoo Notícias
ABI chama de

A Associação Brasileira de Imprensa (ABI) criticou a decisão da juíza Cristina Serra Feijó, da 33ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, que proibiu a Globo de mostrar qualquer documento ou parte do processo que investiga o esquema de rachadinhas na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), a pedido da defesa do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ).

Em nota, a entidade comparou a determinação judicial a censura praticada pela ditadura militar. “Parece estar se tornando praxe no país a censura à imprensa, tal como existia no tempo da ditadura militar e do AI-5”, disse a ABI. “É mais um atropelo à liberdade de expressão. É urgente que o STF restabeleça o império de lei.”

No comunicado, assinado pelo presidente da ABI, Paulo Jeronimo, a associação provocou ao questionar depósitos de Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro e suspeito de operar o esquema de rachadinhas, na conta da primeira-dama, Michelle Bolsonaro. A pergunta, realizada por um jornalista do jornal O Globo a partir de uma reportagem investigativa da revista Crusoé, provocou a seguinte resposta do presidente  Jair Bolsonaro  (sem partido): “Minha vontade é encher sua boca de porrada”.

“A propósito, sabe-se que os recursos da chamada ‘rachadinha’ alimentaram vultosos depósitos na conta da primeira-dama. Por isso, cabe mais uma vez a pergunta, ainda não respondida pelo presidente da República: Afinal, por que Fabrício Queiroz depositou R$ 89 mil na conta bancária de Michelle Bolsonaro?”, indagou.

Flávio Bolsonaro comemorou a vitória de seus advogados contra a Globo, proibida de divulgar documentos sigilosos do inquérito que apura um suposto esquema de rachadinha (desvio de parte do salário de servidores) no gabinete na Alerj.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Anúncio
Anúncio
Ele1 - Criar site de notícias