Segunda, 14 de Junho de 2021 (94) 99153-9530
Política MÉDICOS CUBANOS

Presidente da FAMEP recebe representantes da Associação dos médicos Cubanos no Pará

Os médicos solicitaram apoio da FAMEP para que possam ter seus CRMS reconhecidos e voltem a atuar nos municípios do Estado.

29/09/2020 09h54
Por: Redação Integrada Fonte: Fernanda Cirino - Ascom Famep
| Foto: Ascom/Famep
| Foto: Ascom/Famep

A reunião solicitada pelos representantes da Associação Paraense dos Médicos Cubanos, nas pessoas do Dr. Felipe e a Dra. Caridad, aconteceu na última quinta-feira, 24 de setembro, na sede da Federação das Associações de Municípios do Estado do Pará (FAMEP), em Belém. O objetivo do encontro foi dialogar sobre a delicada situação em que os médicos cubanos encontram-se após a liminar que derrubou a possibilidade de atuação dos mesmos. Com isso, os médicos solicitaram apoio da FAMEP para que possam ter seus CRMS reconhecidos e voltem a atuar nos municípios do Estado.

Os representantes das Entidades irão buscar uma alternativa de reconhecimento jurídico por parte do Ministério Público (MP) e também estabilidade para os CRMS dos médicos cubanos, para que assim, possam atuar nos hospitais municipais e exercer suas atividades como médicos estrangeiros reconhecidos pelo MP.

O presidente da FAMEP e prefeito de Piçarra, Wagne Machado destacou o esforço que o Governo do Estado fez para que esses profissionais pudessem atender os municípios, principalmente em meio a pandemia da covid-19, inclusive, o governador pactuou com os municípios que governo pagaria os médicos por 6 meses e os gestores ficariam responsáveis por despesas como alimentação, estadia e logísticas internas. No entanto, a liminar interposta por um juiz da comarca de Belém, derrubou a possibilidade ao passo que ele deixou de reconhecer os médicos cubanos como médicos para atuar nos municípios.

“É um absurdo”, afirmou Wagne. “Os médicos cubanos só eram médicos então quando a pandemia estava em seu pico? Devo lembrar que os mesmos atuaram no Hospital Abelardo Santos, em hospitais de campanha e também nos municípios, então, a partir do momento que ocorreu o achatamento da curva, eles deixaram de ser reconhecidos”, destacou o gestor.

Os representantes da Associação de médicos cubanos no Estado esteve na FAMEP justamente para buscar esse apoio, apoio no qual a FAMEP já tem declarado de forma evidente desde que o Programa Mais Médicos deixou de aceitar profissionais estrangeiros. “A Federação irá se somar a eles para apoia-los e buscar o devido e merecido reconhecimento para que esses profissionais que tanto ajudaram o Estado, possam voltar a atuar nos municípios paraenses”, disse Wagne.

A Federação reforça também a importância desses profissionais, sem desmerecer os médicos do Estado, mas lembrando que, a ajuda dos médicos estrangeiros também foi algo imprescindível. “Nosso trabalho é lutar pelo desenvolvimento dos municípios paraenses e a questão da saúde, é um ponto chave para que toda a população do Estado possa ter qualidade de vida e a partir disso, desenvolvimento e melhorias, principalmente quando tratamos do interior”, afirmou o gestor. “A justiça precisa reverter tal decisão para que os paraenses não sejam prejudicados”, finalizou o presidente da FAMEP.

Entenda

O pleito da FAMEP já ocorre desde a gestão, do hoje governador do Estado, Helder Barbalho, que em sua presidência solicitou ao ex-ministro Padilha, que os médicos cubanos fossem introduzidos na atuação da saúde no interior do Pará. Já na gestão de Nélio Aguiar, quando o Governo Federal reincidiu os contratos dos médicos estrangeiros presentes no programa Mais Médicos, a Entidade também se manifestou acerca da importância e também comprometimento dos profissionais cubanos com a saúde dos paraenses, principalmente quando tratava-se de atuar no interior do Estado.

Outra manifestação da Entidade, já realizada pelo atual presidente, Wagne ocorreu novamente em nome de todos os prefeitos e prefeitas paraenses, expressando a indignação da Entidade com a decisão da justiça de suspender o contrato de médicos estrangeiros no Estado.

Wagne ressaltou que foram esses médicos que atuaram juntamente com os médicos brasileiros nos períodos mais críticos da pandemia no Pará e sem eles, o sistema de saúde estaria prejudicado. Logo que iniciaram os casos de covid-19 no Pará, a Entidade solicitou ao Governo do Estado a contratação dos médicos cubanos para atuação nas unidades básicas e de pronto atendimento para todos os municípios paraenses.

O pedido de que a iniciativa fosse estendida aos demais municípios do Estado partiu do ex-presidente da FAMEP e prefeito de Santarém, Nélio Aguiar e teve como principal objetivo levar mais condições para a população do interior do estado. Os médicos cubanos atuaram em Belém e no interior do Estado no período de 2013 a 2018, durante a execução do Programa Mais Médicos, do governo federal e demonstraram grande compromisso com a população, uma vez que o Pará sofre, assim como as demais regiões brasileiras, com a baixa adesão de médicos à ação estratégica “Brasil Conta Comigo – Profissionais da Saúde”.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias