Terça, 01 de Dezembro de 2020
Colunistas CRÔNICA

Titanic II

- Não Ismael! Nesse navio eu não subo!

21/10/2020 23h28 Atualizada há 1 mês
Por: Redação Integrada Fonte: Rodrigo Alves de Carvalho
Por Rodrigo Alves de Carvalho
Por Rodrigo Alves de Carvalho

Ismael e Ludmila pagaram dez mensalidades bem salgadas para a agência de viagens e agora se preparavam para o tão aguardado cruzeiro que fariam pelo litoral nordestino. Seriam oito dias de m

uito sol, cerveja, piscina, festas e diversão num luxuoso navio. O casal chegou ao Porto de Santos para o embarque. Uma multidão de pessoas esperava para subirem naquele transatlântico. Entretanto, Ludmila deu um passo para trás e se transformou numa estátua de olhos arregalados e pálida como fantasma. Ismael preocupado pergunta o que houve e ela aponta para o nome do navio gravado na proa em letras garrafais:

“TITANIC II”

- Nesse navio eu não entro! - Esbravejou Ludmila numa mistura de pavor e constrangimento.

- Mas o que tem de mais? É apenas o nome do navio. Não tem nada a ver com o outro Titanic.

- Você está louco Ismael! Um transatlântico desse tamanho, cheio de luxo, uma multidão a bordo, festa, alegria e no meio do caminho um iceberg!

- Como assim iceberg? Vamos para a costa do Nordeste! Não existem icebergs!

- Não Ismael! Nesse navio eu não subo!

A mulher estava irredutível e foi preciso o comandante do navio juntamente com os agentes de viagem tranquiliza-la. Só após muitas ponderações e explicações a moça decidiu subir a bordo mesmo a contragosto.

A viagem estava indo bem, todos se divertiam no Titanic II, menos Ludmila que não tirou uma boia dos ombros nem por um minuto e enquanto outros casais aproveitavam ao máximo o cruzeiro, a mulher da boia permanecia sempre alerta.

Numa manhã quando já estava bem distante da costa pernambucana, um problema elétrico fez com que o navio tivesse alguns solavancos. Foi o bastante para Ludmila pirar de vez. 

- O Titanic vai afundar! O Titanic vai afundar!

Não houve jeito e o navio teve que voltar até Recife para deixar Ludmila e Ismael em terra firme.

Ao saírem do porto, a mulher carregando sua bagagem pesada, ainda agoniada por tudo o que havia acontecido, foi atravessar uma rua e acabou atropelada por um ônibus em alta velocidade.

A viagem havia literalmente acabado para a finada Ludmila. 

Já o Titanic II completou o cruzeiro pela costa nordestina com muita festa, diversão, alegria e sem nenhum iceberg.

Rodrigo Alves de Carvalho nasceu em Jacutinga (MG). Jornalista, escritor e poeta possui diversos prêmios literários em vários estados e participação em importantes coletâneas de poesia, contos e crônicas. Em 2018 lançou seu primeiro livro individual intitulado “Contos Colhidos” pela editora Clube de Autores.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Anúncio
Anúncio
Ele1 - Criar site de notícias