Domingo, 24 de Janeiro de 2021 (94) 99153-9530
Saúde CORONAVÍRUS

Sespa divulga orientações sobre medidas sanitárias para as comemorações de fim de ano

O ideal, é que sejam evitadas as comemorações presenciais, mas caso sejam realizadas, devem ser rigorosamente adotadas as medidas preventivas tais como distanciamento físico para evitar aglomerações, diz a SESPA.

22/12/2020 09h25 Atualizada há 1 mês
Por: Redação Integrada Fonte: Agência Pará
Higienizar as mãos com álcool, quando não for possível lavá-las com água e sabão, continua sendo uma medida antisséptica essencial. Foto: Pedro Guerreiro / Ag. Pará
Higienizar as mãos com álcool, quando não for possível lavá-las com água e sabão, continua sendo uma medida antisséptica essencial. Foto: Pedro Guerreiro / Ag. Pará

Para reduzir os riscos de propagação da Covid-19 durante as celebrações e festas de fim de ano, a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), por meio do Departamento de Vigilância Sanitária (Visa Estadual), divulga nesta segunda-feira (21) um documento completo com uma série de orientações importantes para a população, estabelecimentos comerciais e igrejas. Para conhecer, clique e acesse o link, aqui.

Todas as orientações têm como base legislações estaduais e federais e outros dispositivos legais e protocolos sanitários estabelecidos pelo programa RetomaPará, Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e Ministério da Saúde.

A primeira recomendação contida no documento é a de se evitar a realização de festas em ambientes fechados ou abertos pela gestão pública e privada em locais e espaços públicos, como as praças, parques, avenidas, orla, praias, etc. Na lista constam ainda bares, restaurantes, lanchonetes, barracas, casas noturnas, boates e similares, hotéis, clubes, condomínios, tendo em vista a probabilidade de esses eventos, se ocorrerem, reunirem um grande público, contribuindo para a aglomeração e potencialização da transmissão da Covid-19.

"Os Municípios poderão fixar regras mais rígidas, caso sejam necessárias ao controle epidemiológico em seus territórios", observou a diretora do Departamento de Vigilância Sanitária, Milvea Carneiro.

Milvea Carneiro explica que as orientações são extensivas a qualquer data em que houver confraternizações ou comemorações em alusão ao período, pois alguns encontros são adiados para o mês de janeiro ou primeiros meses do próximo ano de 2021.

O ideal, frisou a diretora, é que sejam evitadas as comemorações presenciais, mas caso sejam realizadas, devem ser rigorosamente adotadas as medidas preventivas tais como distanciamento físico para evitar aglomerações. E é importante garantir a higienização das mãos com água e sabão ou álcool a 70%, uso obrigatório e correto de máscaras, não compartilhamento de objetos e materiais de uso individual, limpeza e desinfecção de superfícies e ventilação ambiental.

Orientações gerais - À população em geral, a Visa Estadual orienta: evitar participar de eventos com tendência a ter grandes aglomerações de pessoas e que ofereçam maior risco de contágio principalmente se for pessoa do grupo de risco; fazer uso obrigatório de máscara, manter o distanciamento de um metro e meio entre outras pessoas, realizar frequentemente a higienização das mãos com água e sabão/sabonete líquido e/ou álcool 70%, além de seguir todas as medidas recomendadas pelas autoridades sanitárias ao participar das confraternizações do trabalho e familiares; evitar tocar boca, olhos e nariz durante as festividades e eventos; preferir ambientes abertos com renovação de ar e evitar participar de brincadeiras que exijam o contato direto com as pessoas como beijos, abraços e apertos de mãos; nos cumprimentos, crie situações simbólicas para externar suas emoções e sentimentos que não exijam o contato com as mãos ou muito próximo.

Aos estabelecimentos que vão realizar festas, a Visa Estadual informa que os organizadores devem fornecer insumos e produtos para frequente higienização das mãos dos trabalhadores e clientes, com disponibilidade de lavatórios com água e sabão líquido, papel toalha, lixeiras sem acionamento manual, álcool 70% em pontos estratégicos, além de seguir o distanciamento recomendado de 1,50 metro entre as pessoas e só permitir o acesso dos clientes/frequentadores mediante o uso da máscara, haja vista que essa é uma recomendação obrigatória.

Igrejas e templos - Quanto às celebrações religiosas próprias das datas festivas, como por exemplo a "Missa do Galo" realizada pela Igreja Católica às vésperas do Natal, cultos natalinos e demais comemorações, a orientação é evitar aglomerações com controle do fluxo de pessoas/agendamento de participantes em cada evento, manter o distanciamento de 1,50 metro entre as pessoas, exigir o uso obrigatório de máscara, uso de álcool a 70%m; aumentar a quantidade de celebrações nas instituições religiosas; estimular os membros a assistirem de forma remota às celebrações e seguir todas as medidas sanitárias já divulgadas.

Quanto as velas usadas em celebrações de fim de ano, a Visa Estadual alerta que as pessoas tenham muito cuidado com o manuseio do álcool 70% no momento de acendê-las e com o seu uso próximo delas, pois o álcool é uma substância altamente inflamável, tanto em gel como líquido, capaz de causar acidentes severos quando posto em contato com o fogo, apresentado alto risco de provocar incêndios e queimaduras.

Limpeza e desinfecção - A Visa reforça que os procedimentos de limpeza e desinfecção sejam feitos com produtos devidamente aprovados pela Anvisa, em todos os ambientes, superfícies e equipamentos, minimamente antes do início e ao término das atividades; seguindo as instruções do fabricante para todos os produtos, ressaltando que os desinfetantes com potencial para desinfecção de superfícies incluem aqueles à base de cloro, álcoois, alguns fenóis e alguns iodóforos e o quaternário de amônio.

É importante nunca varrer superfícies a seco, pois esse ato favorece a dispersão de microrganismos que são veiculados pelas partículas de pó. Outras medidas são utilizar a varredura úmida, que pode ser feita com esfregão ou rodo e panos de limpeza de pisos e realizar o descarte adequado de resíduos provenientes do uso de objetos pessoais descartáveis como lenços e máscaras, preferencialmente separados em sacos e em lixeiras de acionamento não manual.

A Visa Estadual orienta, ainda, que as Vigilâncias Municipais devem verificar se as medidas de prevenção estão sendo cumpridas, assim como as normas gerais e locais específicas sobre a atividade. Os municípios também podem fixar regras mais rígidas, caso sejam necessárias ao controle epidemiológico da Covid-19 em seus territórios.

Mais sobre a Covid-19

Sobre a Covid-19, a Sespa reitera que trata-se de uma doença infecciosa causada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2) e a transmissão dela ocorre de pessoa a pessoa pelo contato próximo com um indivíduo infectado ou por contágio indireto, ou seja, por meio de superfícies e objetos contaminados com secreções de pessoas infectadas.

Os sintomas mais comuns são febre, tosse seca e dificuldade para respirar, outros sintomas não específicos ou atípicos podem incluir dor de garganta, diarreia, perda de paladar e olfato, dores musculares, dores no corpo, cansaço ou fadiga.

Vigilância - O secretário de Estado de Saúde Pública, em exercício, Ariel Sampaio, ressalta que enquanto a vacina não chega, é importante não relaxar com as medidas preventivas, pois o relaxamento contribui decisivamente para a circulação do novo coronavírus e para o aumento de casos.

"Essas medidas são importantes para tentar manter a doença num patamar que não aumente a demanda por leitos e o número de casos. Vamos nos sensibilizar neste momento de renovação e reflexão, para pensar nos outros e em nós mesmos e proteger a saúde de todos".

O secretário em exercício disse, ainda, que a Sespa continua atenta e trabalhando para que a população paraense sofra menos com essa pandemia. "Prosseguimos com nossas ações de Vigilância em Saúde integradas com outros setores do governo para reduzir os impactos da pandemia, mas, repito, é fundamental que a população faça a sua parte para o bem de todos nós", enfatizou.

Segundo a diretora do Departamento de Vigilância Sanitária Estadual, Milvea Carneiro, as festas de Natal e Ano Novo se constituem em momentos de confraternização que envolvem fluxo e concentração de pessoas, sendo que no momento pandêmico torna-se questão de saúde pública evitar todo e qualquer tipo de aglomeração.

"Se essas comemorações ocorrerem, ao invés de trazerem algum conforto emocional, elas podem tornar ainda mais difícil o fim deste ano e o início de 2021", alertou a diretora da Vigilância Sanitária, Milvea Carneiro.

SERVIÇO

As orientações completas estão no link a seguir: ORIENTAÇÕES SANITÁRIAS PARA AS FESTAS DE FIM DE ANO.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias