Sábado, 17 de Abril de 2021 (94) 99153-9530
Colunistas COLUNISTA

A reunião do “vai ou racha” forma comitê com um ano de atraso

Ficou claro também que, quem tentará fazer a ponte entre a medicina e a política, de forma a tentar buscar um consenso maior no país será o Congresso Nacional.

25/03/2021 10h59
Por: Redação Integrada Fonte: Denise Rothenburg
O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, fala à imprensa após reunião com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e os chefes dos Poderes
O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, fala à imprensa após reunião com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e os chefes dos Poderes

A reunião dos poderes constituídos tenta dar um “freio de arrumação” na gestão a pandemia no Brasil, sob a liderança do presidente da República, Jair Bolsonaro, que se juntou ao discurso “vida em primeiro lugar”. Os pronunciamentos, porém, mostram que ainda teremos dificuldades em chegar a uma uniformização do atendimento e dos protocolos. O presidente Jair Bolsonaro, por exemplo, falou em “tratamento precoce”, algo controverso na medicina, enquanto o governador de Goiás, Ronaldo Caiado, lembrou que preciso entender que em caso de “situações críticas, também se faz necessário o isolamento social”, sendo o único a abordar esse tema em seu discurso.

Ficou claro também que, quem tentará fazer a ponte entre a medicina e a política, de forma a tentar buscar um consenso maior no país será o Congresso Nacional. O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, será o canal direto com os governadores, enquanto o da Câmara, Arthur Lira, fará uma reunião com os líderes para tratar dos projetos que podem ser aprovados para agilizar a entrega de equipamentos aos hospitais, para que se dê um basta nas mortes nas filas dois hospitais e por vias na UTIs.

Esse comitê, com governadores, Pacheco, Lira, sob a coordenação de Bolsonaro, começa já e terá reuniões periódicas. Se isso resultará em uma politica uniforme de tratamento da pandemia ainda não se sabe. Assim como as vacinas, esse comitê chega atrasado, num cenário de três ml mortes diárias. O maior consenso da reunião é a necessidade de agilizar a vacinação. Já é um avanço.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Denise Rothenburg
Sobre Denise Rothenburg
INFORMAÇÕES DE DENTRO DO CONGRESSO NACIONAL
Anúncio
Anúncio
Ele1 - Criar site de notícias