Sexta, 14 de Maio de 2021 (94) 99153-9530
Saúde SAÚDE PÚBLICA

Pará registra queda na ocupação de leitos para Covid-19

Comparativo entre boletins, no intervalo de uma semana, mostra alívio no sistema de saúde público do estado

15/04/2021 23h33 Atualizada há 4 semanas
Por: Redação Integrada Fonte: Augusto Rodrigues/DOL
 Números comparativos mostram o alívio no sistema de saúde do Estado | Bruno Cecim - Agência Pará
Números comparativos mostram o alívio no sistema de saúde do Estado | Bruno Cecim - Agência Pará

A chegada da vacina, as medidas restritivas como o lockdown e o bandeiramento vermelho associados ao maior medo de contração da doença pela população podem ser alguns dos indicativos que tem trazido um cenário bem melhor nos últimos boletins da Sespa que mostram que o Pará vem apresentando quedas significativas nas taxas de ocupação de leitos para Covid-19.

De acordo com informações divulgadas pela Secretaria de Saúde Pública do Estado, no intervalo de uma semana, o sistema público de combate ao novo coronavírus teve significativo alívio.

Dados divulgados ontem apontam ocupação de 60,15% nos leitos clínicos exclusivos para Covid-19.

No boletim divulgado no dia 7 de abril, a ocupação era de 71,7% — ou seja, em uma semana, a ocupação de leitos clínicos reduziu 11,55%.

A ocupação de leitos de UTI adulto para Covid-19 também registrou queda. No dia 7 de abril, 88,18% desses leitos estavam ocupados; no dia 14, a ocupação era de 80,52%.

VEJA O COMPARATIVO!

Boletim divulgado ontem (14) pela Sespa:

Informativo sobre leitos exclusivos para Covid 19 (Sespa, 7 de abril de 2021) Sespa

 

Informativo sobre leitos exclusivos para Covid 19 (Sespa, 14 de abril de 2021) Sespa 

Boletim divulgado na semana passada (7 de abril) pela Sespa:

Informativo sobre leitos exclusivos para Covid 19 (Sespa, 7 de abril de 2021) Sespa

Informativo sobre leitos exclusivos para Covid 19 (Sespa, 7 de abril de 2021) Sespa 

Vírus permanece em circulação intensa no Brasil, alerta Fiocruz

Os dados do Boletim Extraordinário do Observatório Covid-19, divulgados ontem pela Fiocruz, mostram que a pandemia deve permanecer em níveis preocupantes ao longo do mês de abril. Medidas de restrição de mobilidade ajudam a frear os níveis de contágio.

“As medidas de restrição de mobilidade e de algumas atividades econômicas, adotadas nas últimas semanas por diversas prefeituras e estados, estão produzindo êxitos localizados e podem resultar na redução dos casos graves da doença nas próximas semanas. No entanto ainda não tiveram impacto sobre o número de óbitos e no alívio das demandas hospitalares”, alertam os pesquisadores. “A flexibilização de medidas restritivas pode ter como consequência a aceleração do ritmo de transmissão e, portanto, de casos graves de Covid-19 nas próximas semanas”.

 

 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Anúncio
Anúncio
Ele1 - Criar site de notícias