Segunda, 14 de Junho de 2021 (94) 99153-9530
Saúde CORONAVÍRUS

Pesquisadores relatam três casos de AVC pós-vacina contra a Covid-19 através de estudo

No entanto, especialistas lembram que eventos adversos graves relacionados à vacina é muito raro e bem menos comuns

26/05/2021 16h49
Por: Redação Integrada Fonte: Com informações do Metrópoles
Crédito: Agência Brasil
Crédito: Agência Brasil

Pela primeira vez a vacina contra a Covid-19 é associada a derrames isquêmicos, coágulos em artérias responsáveis pela irrigação cerebral. De acordo com relatos publicados pelo Journal of Neurology Neurosurgery & Psychiatry, especialistas em AVC do Hospital Nacional de Neurologia e Neurocirurgia da University College London (UCL) descrevem a relação entre a vacina AstraZeneca contra a Covid-19 e a formação de coágulos arteriais em três adultos imunizados, que envolvem, especificamente, a trombose venosa cerebral, uma forma rara de AVC causada pelo bloqueio de veias.

Estão entre os três jovens adultos: um homem asiático de 43 anos e duas mulheres, uma de 37 anos e outra de 35 anos, em que a última faleceu dias após ser vacinada.

Após receber a vacina, o homem foi hospitalizado com problemas de fala e compreensão da linguagem três semanas após tomar a dose; a mulher de 37 anos teve dores de cabeça, fraqueza no braço e perda de visão, ambos no lado esquerdo, 12 dias após a vacina; seis dias depois de ser vacinada, a paciente de 35 anos relatou uma dor de cabeça intermitente no lado direito e ao redor dos olhos. Passados cinco dias, ela acordou com sonolência e fraqueza no rosto, braço e perna esquerdos.

IMAGEM: JORNAL CONTÁBIL

Submetida a uma cirurgia no cérebro para reduzir a pressão craniana, a paciente de 35anos passou pela remoção e reposição de plasma e foi tratada com anticoagulantes, mas não resistiu.

Vacina continua indicada

Especialistas lembram que eventos adversos graves relacionados à vacina é muito raro e bem menos comuns. Os órgãos de saúde e a Organização Mundial de Saúde (OMS) indicam que as pessoas não deixem de se vacinar.

Porém, os autores pedem que os imunizados estejam atentos a sintomas clássicos de derrame no período entre quatro e 28 dias após a vacinação. Caso esses sintomas surjam, é importante procurar ajuda médica.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias