Terça, 27 de Julho de 2021 (94) 99153-9530
Mundo Cristão COMEMORAÇÃO

Assembleia de Deus celebra 110 anos no Brasil e inaugura museu comemorativo

A AD é maior denominação evangélica do País com 30 milhões de fieis e com mais de 380 mil templos.

25/06/2021 00h28
Por: Redação Integrada Fonte: Guia-me e Comunhão
Pr. José Wellington Jr. com a esposa, Lídia, em um dos cultos de celebração pelos 110 anos da denominação (Foto: Divulgação)
Pr. José Wellington Jr. com a esposa, Lídia, em um dos cultos de celebração pelos 110 anos da denominação (Foto: Divulgação)

A Assembleia de Deus completa mais de um século de história no Brasil. São 110 anos de fundação e, para celebrar, a Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB) organizou a Semana de Gratidão a Deus, de 14 a 18 de junho.

Houve comemoração nas cidades de São Paulo, Natal, Cuiabá, Curitiba e Belém com transmissão, ao vivo, pelo YouTube e também pelas redes sociais da denominação. A AD é maior denominação evangélica do País com 30 milhões de fieis e com mais de 380 mil templos.

O Pr. José Wellington Bezerra da Costa Jr., presidente da CGAD, agradeceu a presença de todos nos cultos, mas lamentou a ausência do Pr. José Wellington Bezerra da Costa nas celebrações, devido à recente alta hospitalar, após 28 dias de internação, para tratar de complicações da Covid-19. Em sua palavra, Pr. Wellington Jr destacou que Jesus salva, cura, batiza no Espírito Santo e, em breve, voltará.

“Foi essa mensagem, que parece simples que os nossos pioneiros, Daniel Berger e Gunnar Vingren, trouxeram para o Brasil. Eles deixaram família e o frio do seu país. Vieram para Belém, no Pará, trazendo a chama do Espírito Santo, alcançando milhões de brasileiros”, enfatizou o Pr. Wellington Jr.

Ele agradeceu a Deus pelos 110 anos de pentecostalismo no País, destacando que de norte a sul do Brasil o Evangelho Pentecostal está sendo anunciado. “Cabe a nós, que o recebemos, enquanto Jesus não voltar, passarmos essa tocha para as futuras gerações”.

O início da Assembleia de Deus

Os suecos Daniel Berger e Gunnar Vingren chegaram ao Brasil, em Belém do Pará, em 19 de novembro de 1910. Ninguém imaginava que aqueles dois jovens suecos iniciariam um movimento que alteraria profundamente o perfil religioso e até social do Brasil por meio da pregação de Jesus Cristo. As igrejas existentes na época – Batista de Belém do Pará, Presbiteriana, Anglicana e Metodista – ficaram bastante incomodadas com a nova doutrina dos missionários.

A irmã Celina de Albuquerque, na madrugada do dia 18 de junho de 1911, foi a primeira crente a receber o batismo no Espírito Santo , o que não demorou a ocorrer também com outros irmãos. O clima ficou tenso naquela comunidade. Resultado: eles e mais dezenove irmãos acabaram sendo desligados da Igreja Batista. Convictos, fundaram a Missão de Fé Apostólica, em 18 de junho de 1911, que, mais tarde, em 1918, ficou conhecida como Assembleia de Deus.

Museu da Assembleia de Deus

O novo museu da Assembleia de Deus foi inaugurado neste sábado (19), em Belém do Pará (PA), como parte das comemorações do aniversário dos 110 anos da Assembleia de Deus, fundada na cidade pelos missionários suecos Daniel Berg e Gunnar Vingren.

O evento de inauguração contou com uma restituição teatral da chegada dos pioneiros ao Brasil, no Porto de Belém. Os participantes do evento estavam vestidos com roupas da época da fundação da igreja, como uma forma de homenagear a história da denominação pentecostal.

Localizado anteriormente no bairro da Campina, de 2011 a 2020, o museu da AD foi transferido para o bairro Nazaré num prédio histórico, que foi revitalizado. O espaço reúne peças que marcaram os mais de um século de história da igreja pentecostal no Brasil e já está aberto para visitação.

Comemorando seus 110 anos, a AD em Belém do Pará inaugurou o novo Museu da Assembleia de Deus. (Foto: Divulgação).

Entre as peças históricas, estão documentos, livros, instrumentos musicais, objetos pessoais, pinturas e fotografias numa linha de tempo da denominação em Belém do Pará, no Brasil e no exterior. O Museu conta também com materiais doados pela família dos pioneiros.

O acervo do museu conta com peças históricas da época dos pioneiros. Como os baús dos missionários Samuel Nyström e Nels Nelson, jarra litúrgicas raras utilizadas em cerimoniais, exemplares das primeiras revistas da Escola Bíblica Dominical, e o contrabaixo acústico da primeira orquestra da Assembleia de Deus em terras brasileiras.

No museu está também a primeira edição da partitura da Harpa Cristã, o hinário oficial das Assembleias de Deus no Brasil, lançado em 1922, inicialmente organizado pelo missionário Samuel Nyström e posteriormente traduzido e editado pelo pastor Paulo Leivas Macalão.

Também faz parte do acervo, a bússola do barco Boas Novas, doado em 1914 por um fazendeiro no Marajó, local onde foi estabelecido o primeiro trabalho evangelístico itinerante de Daniel Berg, após chegar em Belém. O barco foi o primeiro veículo usado pela Assembleia de Deus no Brasil para evangelização.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Anúncio
Anúncio
Ele1 - Criar site de notícias