Quinta, 28 de Outubro de 2021
°

-

Colunistas EM CLIMA DE DECISÃO

Zequinha, fica ou não fica com os Barbalhos?

Lideranças evangélicas querem o senador candidato a governador em 2022

28/06/2021 às 08h56 Atualizada em 28/06/2021 às 11h54
Por: Redação Integrada Fonte: Portal Manancial
Compartilhe:
Senador Zequinha Marinho (PSC-PA). Foto: G1 Pará
Senador Zequinha Marinho (PSC-PA). Foto: G1 Pará

Em que pese as eleições acontecerem só ano que vem, os partidos interessados na concorrência pela vaga de governador já estão se organizando. E quem não quer entrar na disputa para derrotar o sonho de reeleição do governador Helder Barbalho (PMDB)? Mistérios e até revelações tomam conta dessa grande expectativa. Nomes como de Jatene, Helenilson, Marcio Miranda, Eguchi e Zequinha Marinho, estão entre as conversas de bastidores.

Jatene vai ter que lutar contra os Barbalhos na justiça para ganhar o direito de candidatura uma vez que suas contas estão reprovadas pela Assembleia Legislativa (Alepa).

Marcio já foi candidato apoiado por Jatene e Zequinha Marinho foi vice de Jatene, e pelo jeito, saiu com algumas cicatrizes provocadas pelo líder tucano.

Nos bastidores dizem que o senador teria maior probabilidade em um alinhamento com Eguchi e Marcio Miranda, porém, o presidente da Republica Jair Bolsonaro, tem suas articulações para derrotar Helder, e dizem que o caminho mais fácil seria com Zequinha candidato.

Por sinal que a cada dia cresce a pressão dos evangélicos pela candidatura majoritária do senador e ainda mais com apoio do presidente da República, considerado um defensor da família tradicional.

Mas a grande pergunta sobre Zequinha Marinho é saber qual rumo tomará o senador que fora eleito com apoio incondicional dos Barbalhos?  Em caso de uma candidatura paralela, os Barbalhos não a entenderiam como uma traição?

Qual seria o preço da ruptura?

Dentro do avião presidencial, na chegada a Marabá, Zequinha Marinho está com o presidente Jair Bolsonaro, ministro da AGU, André Mendonça, pastor Silas Malafaia, deputados federais Marco Feliciano, Eder Mauro e Joaquim Passarinho. Foto/Divulgação

O senador continua no governo estadual, mais com certa frequência tem aparecido ao lado do presidente Jair Bolsonaro, que diz ser questão de honra derrotar o filho do Jader Barbalho no Pará.

Sabemos que o senador Zequinha tem se reunido com suas bases e com outras lideranças, e certamente daqui a dois meses deverá tomar uma decisão.

Comentaristas políticos acreditam que numa eventual candidatura, Zequinha não teria dificuldades em fazer uma dobradinha com Marcio Miranda e Eguchi - este último também tem apoio de Bolsonaro. Então praticamente o clima de disputa está formado e prova disso, são os ataques que o senador do PSC tem recebido.

Observadores dizem que enquanto Bolsonaro pretende trabalhar para derrotar Helder, o governador do Pará também trabalha para cassar o mandato do senador Zequinha.

A meu ver senhores (as), Zequinha está no meio de duas grandes confusões: primeiro que o PSDB também tem interesse na queda de Zequinha e junto com Helder à confusão fica bem maior.

Vale lembrar que Zequinha foi eleito senador ao lado da família Barbalho. Zequinha com 1.374.956 (19,62%) votos e Jader Barbalho 1.383.306 (19,74%) Votos.

Agora vamos esperar sobre a posição final do senador

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias