Quarta, 22 de Setembro de 2021
°

-

Cidades OPERAÇÃO SAMAÚMA

Forças Armadas empregam navio patrulha com metralhadora antiaérea para fiscalização em Itaituba

O navio irá realizar ações de Patrulha e Inspeção Naval nas águas jurisdicionais da Operação, com objetivo de contribuir para a implementação e fiscalização do cumprimento das leis e regulamentos em águas brasileiras.

26/07/2021 às 10h18
Por: Redação Integrada Fonte: O Liberal
Compartilhe:
Exército realiza fiscalização em terras indígenas do Pará - Crédito: Divulgação/CCjN
Exército realiza fiscalização em terras indígenas do Pará - Crédito: Divulgação/CCjN

O Comando Conjunto Norte (CCjN), formado pelo Comando Militar, 4º Distrito Naval e Comando Aéreo, realiza  Operação Samaúma no Navio Patrulha Costeiro Pampeiro em Itaituba, região sudoeste do Pará, para reforçar a fiscalização. O comando saiu de Belém no dia 14 de julho com 16 militares para a ação naval.

O navio irá realizar ações de Patrulha e Inspeção Naval nas águas jurisdicionais da Operação, com objetivo de contribuir para a implementação e fiscalização do cumprimento das leis e regulamentos em águas brasileiras. Também são realizadas ações preventivas e repressivas a delitos ambientais em apoio à Operação Samaúma, no município. Para isso, possui uma metralhadora antiaérea Oerlikon 20mm e duas metralhadoras CAL .50 Browning.

Operação Samaúma

A Operação Samaúma, de Garantia da Lei e da Ordem Ambiental, ocorre em terras indígenas, em unidades federais de conservação ambiental, em áreas de propriedade ou sob posse da União. Todas as atividades ocorrem em conjunto com órgãos e agências de proteção ambiental e de segurança pública.

Conforme o decreto número 10.730, de 28 de junho de 2021, a atuação dos militares do Comando Conjunto Norte, ocorre nos municípios paraenses de Altamira, Itaituba, Jacareacanga, Novo Progresso, São Félix do Xingu e Trairão e seguem até o dia 31 de agosto de 2021.

O nome da Operação homenageia a árvore conhecida como rainha da Amazônia, que guarda e distribui água para outras espécies e também pode ser chamada de mafumeira, sumaúma e kapok.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias