Domingo, 26 de Junho de 2022
Saúde ACUSAÇÃO

Família acusa médica de negligência depois da morte de bebê no interior do Pará

O bebê, Benício Pereira, morreu, neste domingo (2), no Hospital Municipal de Itaituba (HMI), em Itaituba.

05/01/2022 às 10h33 Atualizada em 05/01/2022 às 10h40
Por: Redação Integrada Fonte: (Portal Debate Carajás, com Giro Portal)
Compartilhe:
Benício Pereira. (Foto: Reprodução)
Benício Pereira. (Foto: Reprodução)

A família da gestante, Ana Paula Bentes, 22 anos, acusa uma a médica plantonista do Hospital Municipal de Itaituba (HMI), no oeste do Pará, do crime de negligência médica, depois da morte do Bebê, Benício Pereira, neste domingo (2).

Ana Paula deu entrada na maternidade, na sexta-feira (31), mas só teve o bebê, por meio de um parto normal induzido, na madrugada de domingo. De acordo com informações da família, a gestante deu entrada no HMI, sentindo dores, uma vez que ela estava com 39 semanas de gravidez. A jovem foi atendida e orientada a aguardar o parto normal, porém o nascimento da criança demorou dois dias para acontecer.

A grávida ficou com os olhos roxos de tanto fazer esforço para o bebê vir ao mundo. Benício acabou nascendo com problemas pulmonares, foi entubado, mas não resistiu e morreu. A família da criança foi à Delegacia de Polícia Civil e registrou um Boletim de Ocorrência para que um laudo do Instituto Médico Legal (IML) seja feito.

O resultado deverá sair de 30 a 90 dias, e só então poderá ser constatado a causa da morte da criança. O caso ganhou grande repercussão em Itaituba.

Ana Paula – Crédito: Redes sociais

FALTA DE HUMANIDADE

Indignada, uma mulher que teve o filho no Hospital Municipal de Itaituba (HMI), relatou, nas redes sociais, o sofrimento e desrespeito sofridos por mulheres gestantes: “Imagine você chegar ao hospital, perdendo líquido, a médica te recebe de cara ruim, te interna e te diz o seguinte: ‘Esquece o que te disseram no teu pré-natal, pré-natal não serve de nada aqui, não importa o que o médico disse lá, aqui o protocolo é PARTO NORMAL, ou seja, AQUI OU VOCÊ TEM NORMAL OU TU TE VIRA PARA TER NORMAL, FUNCIONA ASSIM. Leiam gritando por que foi aos gritos que ela me disse logo após jogar um livro no meu rosto”, relata outra mãe que foi atendida no hospital”, relata a internauta. 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias