Domingo, 26 de Junho de 2022
Política ELEIÇÕES 2022

Governadores de 16 UFs devem disputar reeleição em 2022

Pelo menos 11 Estados terão novos governadores em 2023

24/01/2022 às 16h58 Atualizada em 24/01/2022 às 17h30
Por: Redação Integrada Fonte: poder 360
Compartilhe:
Novo modelo de urna eletrônica anunciado pelo TSE
Novo modelo de urna eletrônica anunciado pelo TSE

Pelo menos 11 Estados terão novos governadores em 2023. Em 9 dessas Unidades da Federação o atual chefe do Executivo cumpre o 2º mandato e não poderá se candidatar ao mesmo cargo. No Rio Grande do Sul e em São Paulo os governadores não tentarão reeleição.

Os governadores de outros 15 Estados e do Distrito Federal devem disputar a reeleição no pleito de 2022.

As eleições estaduais são processos importantes para alavancar a campanha de um candidato a presidente. As máquinas estaduais também ajudam os partidos a se manterem no poder localmente.

Parte inferior do formulário

SUDESTE

Na região Sudeste, São Paulo é o único Estado em que o atual governador não tentará a reeleição. Rodrigo Garcia (PSDB) é o pré-candidato ao Palácio dos Bandeirantes e tem o apoio do atual chefe, João Doria (PSDB), que participará da disputa pelo Palácio do Planalto.

No Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PL) foi eleito em 2018 como vice, na chapa com Wilson Witzel (PSC), afastado do cargo depois de um processo de impeachment. Castro atuava como interino desde agosto de 2020, e tomou posse como governador em maio de 2021.

SUL

A situação é semelhante na região Sul. Os governadores do Paraná, Ratinho Jr. (PSD), e de Santa Catarina, Carlos Moisés (sem partido), devem tentar a recondução ao cargo. No Rio Grande do Sul, o PSDB deverá lançar Ranolfo Vieira. O atual governador, Eduardo Leite foi derrotado por Doria nas prévias da sigla para definição do candidato à Presidência.

NORDESTE

Dos 6 Estados da região Nordeste, em 2 o atual governador tentará a reeleição: Paraíba e Rio Grande do Norte, com João Azevedo (Cidadania) e Fátima Bezerra (PT). A petista é a única mulher a comandar um Estado.

Ainda não há definição no Ceará sobre o nome a ser apoiado pelo governador Camilo Santana (PT). Com o fim do 2º mandato, ele poderá sair candidato ao Senado, e tem 2 possíveis pré-candidatos para apoiar: Luizianne Lins (PT) e Roberto Claudio (PDT). Há uma aliança local entre as duas legendas. Os partidos têm pré-candidatos próprios ao Planalto: o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o ex-governador Ciro Gomes (PDT.

Norte

O Amapá é o único Estado do Norte em que o governador –Waldez Góes (PDT)– está cumprindo seu 2º mandato. Nos demais 6 Estados o atual chefe do Executivo deve buscar a reeleição.

No Tocantins, o governador Wanderlei Barbosa (sem partido) assumiu o posto depois do afastamento de Mauro Carlesse (PSL). Ele foi afastado do cargo por determinação do STJ (Superior Tribunal de Justiça) por suspeita de pagamento de propina e obstrução das investigações. A Justiça Eleitoral também o declarou inelegível. No começo de dezembro, a Assembleia Legislativa do Tocantins aceitou um pedido de abertura de processo de impeachment contra Carlesse.

Centro-Oeste

Deverão tentar a reeleição no Centro-Oeste os governadores do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), de Goiás, Ronaldo Caiado (União Brasil), e de Mato Grosso, Mauro Mendes (União Brasil). No Mato Grosso do Sul, o atual governador Reinaldo Azambuja (PSDB) apoia seu secretário de Infraestrutura Eduardo Riedel na disputa.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias