Sábado, 28 de Maio de 2022
Política ELEIÇÕES 2022

Ministros do STF veem sinais de golpe em nova afronta de Bolsonaro

Em entrevista à Mônica Bergamo, na Folha, um ministro da corte afirmou que com o indulto a Silveira, Bolsonaro "deixou claro que não vai largar a rapadura com facilidade".

26/04/2022 às 09h17 Atualizada em 26/04/2022 às 09h27
Por: Redação Integrada Fonte: Por Plinio Teodoro/Revista Fórum
Compartilhe:
 Jair Bolsonaro, Dias Toffoli e Luiz Fux.Créditos: Nelson Jr./ STF
Jair Bolsonaro, Dias Toffoli e Luiz Fux.Créditos: Nelson Jr./ STF

Em silêncio em frente às câmeras, nos bastidores os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) já falam na possibilidade de um golpe diante dos novos ataques de Jair Bolsonaro (PL) - e de militares de seu governo - ao judiciário.

Na noite desta segunda-feira (25), Rosa Weber abriu prazo de 10 dias para Bolsonaro explicar indulto a Daniel Silveira (PTB-RJ). Neste período, os ministros - exceto Nunes Marques e André Mendonça - devem desenvolver uma estratégia para lidar com os arroubos autoritários crescentes do presidente, que agora conta com a anuência dos militares no governo.

Em entrevista a Mônica Bergamo, um dos ministros disse que com o indulto Bolsonaro "deixou claro que não vai largar a rapadura com facilidade", em referência a uma possível derrota nas urnas.

POLÍTICA

Rosa Weber dá 10 dias para Bolsonaro explicar indulto a Daniel Silveira

NOVO GOLPE

Sob a mira dos militares, Centrão é acuado diante de ataques de Bolsonaro ao Judiciário

A estratégia é exatamente essa. Com a aproximação das eleições e sem armamento para reverter os altos índices de rejeição - em torno de 60% -, o que dá a Lula a possibilidade cada vez maior da vitória, Bolsonaro busca sustentação militar para sua tese de fraude nas urnas eletrônicas.

Não é à toa que os últimos ataques do Bolsonaro foram desferidos justamente contra Luis Roberto Barroso e Edson Fachin, ex e atual presidentes do TSE.

Outro alvo constante é Alexandre de Moraes, que vai assumir o comando da corte eleitoral em agosto e será responsável pela condução da disputa presidencial.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias