Sábado, 28 de Maio de 2022
Xinguara POLÊMICA

Vereadores de Xinguara aprovam reajuste aos professores bem abaixo do percentual de 33,24% que foi concedido em nível nacional

Por não concordar com a aprovação dos 10,16% pela Câmara Municipal, Sintepp afirma buscar a Justiça e garantir o direito da categoria

02/05/2022 às 12h28 Atualizada em 02/05/2022 às 12h34
Por: Redação Integrada Fonte: Do Blog Roserval
Compartilhe:
Crédito: André Silvestre
Crédito: André Silvestre

O Projeto de Lei 13/2022 de autoria do poder Executivo do Município de Xinguara, com a proposta de apenas 10,16% de reajuste salarial para os professores da rede pública municipal de ensino, foi aprovado primeiramente pelas Comissões de Constituição, Justiça e Redação Final, de Finanças e Orçamento e de Saúde Educação e Assistência Social e em seguida levado para votação no plenário, tendo sido aprovado por unanimidade em Sessão Extraordinária realizada na noite da última segunda-feira, (25). A pedido do Executivo o PL foi votado em regime de Urgência Especial.

Professores e Sintepp representado pela coordenação estiveram presentes para de alguma forma tentar sensibilizar os vereadores a uma votação em favor da categoria, mesmo com a plenária lotado, não foi o bastante para impedir a aprovação do projeto.

Crédito: André Silvestre

Após a Sessão, houve uma manifestação na frente da Câmara. Usando um carro de som, os manifestantes chegaram a pedir para o prefeito Moacir Pires de Farias renunciar ao cargo.

Segundo a coordenadora do Sintepp, professora Maria Reis, a categoria não vai se dar por satisfeita e vai continuar com os movimentos, “a partir de quarta-feira, 27, voltaremos a realizar manifestações nas ruas, nos setores da cidade, agora não só contra o prefeito, mas também contra os vereadores, pois estamos dispostos a reivindicar o que é nosso por direito”, disse.

Crédito: André Silvestre

A coordenadora do Sintepp disse também a nossa reportagem que já está trabalhando com o jurídico do sindicato para tentar reverter a situação. “Pretendemos acionar a Justiça em breve”, afirmou.

De acordo com o secretário municipal de Educação, Genival Fernandes, a situação está resolvida com a aprovação do PL. Ele afirma que o pagamento do reajuste será pago na folha de abril e retroativo ao mês de janeiro. Além disso, ele afirmou que, repassará também os valores de acordo com a nova estimativa do FUNDEB.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias