Sábado, 28 de Maio de 2022
Política NOVA PERÍCIA

Acusado de esfaquear presidente Bolsonaro, Adélio Bispo pode ganhar liberdade

Em 2019, Adélio Bispo foi diagnosticado com transtorno delirante permanente paranoide, o que não lhe permite a punição criminal.

07/05/2022 às 16h54 Atualizada em 07/05/2022 às 17h04
Por: Redação Integrada Fonte: Com informações do G1
Compartilhe:
Crédito: Reprodução
Crédito: Reprodução

Adélio Bispo de Oliveira, acusado de esfaquear o então candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PL) em Juiz de Fora, município de Minas Gerais, em meio às campanhas para as eleições de 2018, será submetido a uma nova perícia e pode ganhar liberdad

A sentença que condenou Adélio em julho de 2019, determinou que ele seja submetido a uma nova perícia médica ao fim do prazo mínimo de três anos, o qual termina no dia 12 de julho.

Esta nova avaliação será realizada para saber se o estado de saúde mental dele continua o mesmo e se ele ainda representa um risco para a sociedade. Caso seja comprovado que ele não representa risco, Adélio poderá ser solto.

Em 2019, Adélio Bispo foi diagnosticado com transtorno delirante permanente paranoide, o que não lhe permite a punição criminal. Sendo assim, ele foi classificado como inimputável, ou seja, que é incapaz de entender o caráter ilícito do crime que havia cometido.

O Ministério Público Federal (MPF) solicitou à Justiça que seja realizada uma nova perícia médica para identificar a persistência ou cessação da periculosidade de Bispo, levando em consideração o prazo inicial de três anos de internação. A solicitação foi encaminhada para análise.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias