Sábado, 28 de Maio de 2022
Política ECONOMIA

Por que a Petrobras lucrou R$ 44,5 bilhões em apenas 3 meses? Veja 5 razões

Assim, quando o preço do barril sobe no exterior, a Petrobras sobe os preços dos combustíveis aqui.

07/05/2022 às 17h38 Atualizada em 07/05/2022 às 17h48
Por: Redação Integrada Fonte: Do UOL, em São Paulo
Compartilhe:
Petrobras teve no primeiro trimestre de 2022 um lucro de R$ 44,5 bilhões Imagem: SERGIO MORAES
Petrobras teve no primeiro trimestre de 2022 um lucro de R$ 44,5 bilhões Imagem: SERGIO MORAES

A Petrobras anunciou ontem (5) o terceiro maior lucro trimestral da história da companhia, de R$ 44,5 bilhões. O resultado foi muito maior que o obtido no mesmo período de 2021, que tinha sido de R$ 1,2 bilhão.

No relatório de resultados apresentado pela empresa, a Petrobras atribuiu o lucro principalmente à alta do petróleo no mundo, a maiores margens de lucro no diesel e a mais exportações, além da queda do dólar entre janeiro e março.

Saiba como a política de preços da companhia, que segue a cotação do barril do petróleo no mercado internacional, alimentou os ganhos e veja mais abaixo os cinco principais motivos para esse lucro bilionário.

Política de preços atrelada a petróleo e dólar

Na hora de vender derivados de petróleo no Brasil, como gasolina e diesel, a Petrobras adota preços que seguem o valor do petróleo no mercado internacional. Essa política de preços da empresa, chamada de Preço de Paridade de Importação, foi adotada em 2016, no governo Michel Temer.

Os preços são determinados a partir das cotações do barril de petróleo nas Bolsas internacionais, em especial, em Londres e nos Estados Unidos.

Assim, quando o preço do barril sobe no exterior, a Petrobras sobe os preços dos combustíveis aqui.

A Petrobras usa como referência a cotação internacional porque esses valores definem quanto as refinarias brasileiras, incluindo as da estatal, pagam quando importam petróleo.

De onde veio o lucro da Petrobras

A principal explicação é a alta do petróleo, mas também há outras.

1.Valorização do petróleo: O preço do petróleo subiu 27% no mercado mundial no primeiro trimestre, em relação ao trimestre anterior. Na comparação com o primeiro trimestre de 2021, a alta foi ainda maior, de 66%.

O petróleo já vinha subindo desde o ano passado, por causa do maior consumo em meio à retomada da atividade econômica pós-pandemia, mas a alta acelerou após a invasão da Ucrânia pela Rússia.

A guerra ameaça a oferta mundial do produto, porque a Rússia é o segundo maior exportador e terceiro maior produtor de petróleo global, respondendo por cerca de 12% da oferta global.

Por causa da sua política de preços, a Petrobras repassa esses aumentos.

2.Diferença entre custo de produção e preço de venda do diesel: Com os aumentos de preços realizados desde janeiro, subiu a diferença entre os custos de produção do diesel e o preço de venda do combustível aqui.

Em março, a Petrobras anunciou aumento de 24,9% do diesel S-10 nas refinarias, o maior reajuste promovido pela companhia desde janeiro de 2021, quando teve início a escalada dos preços dos combustíveis no país. Foi a segunda vez neste ano que a empresa subiu o valor da gasolina e do diesel vendidos em suas refinarias.

Essa diferença maior favorece os ganhos da Petrobras, ainda mais considerando que o diesel respondeu por 48% das receitas de vendas da Petrobras no primeiro trimestre.

3.Mais produção e exportações: O preço do petróleo aumentou no mundo, mas a Petrobras manteve os custos praticamente estabilizados no período.

A empresa consegue extrair petróleo do pré-sal a um custo na casa de US$ 6 o barril, muito menos que o preço de venda do produto, de US$ 101,40 no trimestre.

A empresa também elevou a produção no trimestre, em 1,1%, e exportou mais produto. As vendas para o exterior aumentaram 55% em relação ao primeiro trimestre de 2021.

Essa combinação —maior produção e mais vendas, preços do barril valorizados e custos controlados— responde por boa parte do lucro maior.

4.Queda do dólar: A queda de 15% do dólar no primeiro trimestre também ajudou no lucro da Petrobras, porque reduziu dívidas e outros passivos da companhia que são em moeda estrangeira.

No primeiro trimestre, esse fator deu à petroleira um resultado positivo de R$ 12,5 bilhões. Um retrato oposto ao do primeiro trimestre de 2021, quando a empresa teve uma perda de R$ 18,7 bilhões porque, naquele período, o dólar tinha se valorizado.

5.Mais ganhos com aplicações financeiras: Com mais vendas, a Petrobras aumentou a quantidade de dinheiro em caixa no primeiro trimestre, a aplicação desses recursos no mercado financeiro gerou mais lucros.

Parte desse ganho extra se deve ao aumento da taxa de juros. A taxa básica de juros, a Selic, que era de 2% ao ano no começo de 2021, chegou a 11,75% ao ano ao fim do primeiro trimestre.

Com mais dinheiro aplicado em investimentos que estão pagando rendimentos maiores por causa dos juros mais elevados, o lucro financeiro cresce.

O resultado financeiro da Petrobras no primeiro trimestre deste ano foi positivo em R$ 3 bilhões, contra uma perda de R$ 30,7 bilhões no mesmo período de 2021.

Por que o Brasil importa petróleo e combustível

Você já deve ter ouvido falar que o Brasil é autossuficiente em petróleo, ou seja, produz o suficiente para atender a demanda interna. Por que, então, importa não só petróleo como combustível?

A explicação tem a ver com a capacidade e as características das refinarias brasileiras, que são antigas.

Das 19 refinarias atualmente em operação, 14 foram inauguradas antes dos anos 1980 e construídas para processar muito mais o petróleo importado, do tipo leve, que o óleo produzido no Brasil, do tipo pesado.

Então, a Petrobras exporta petróleo pesado para outros países e importa petróleo mais leve para compor uma mistura que possa ser processada nas refinarias.

O Brasil produz atualmente uma média diária de cerca de 3,5 milhões de barris, dos quais 2,7 milhões de barris saem da Petrobras.

As refinarias nacionais hoje processam 2,4 milhões de barris diários. Elas estão usando apenas 75% da sua capacidade de refino devido a uma série de razões, como parada para manutenção, decisões estratégicas da chefia e problemas operacionais.

Essa produção das refinarias não é suficiente para atender a demanda interna, daí a necessidade de importar combustível.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias